Entrar | Sem registro? Registrar!
Snake story

O quase esquecido passado das snakes

Escrito por CipSoft (traduzido por Mestre Nardi) on Monday 11 August 2008
Já era tarde quando Odemara Taleris fechou sua joalheria e voltou correndo pra casa. Um casal de noivos que iria se casar em pouco tempo queria seus anéis decorados com algum tipo de jóia, só que, demoraram mais de duas horas para escolher uma. Seus filhos Zoran e Zarah haviam acabado de voltar de um fim de semana com os avós em Port Hope e ela sabia que eles esperavam por ela. Eles sempre a chamavam na hora de dormir para que ela contasse alguma história, e ela não queria perder esse tempo com seus filhos.

Quando Odemara entrou no quarto de Zarah, seus pequenos já estavam vestidos com seus pijamas. "Mamãããe, por favor, você tem que contar pra gente a história das snakes!" gritou Zoran enquanto Zarah batia palmas entusiasmada. Odemara, por outro lado, estava surpresa. "Snakes?A história das Snakes?" "Sim, nós ouvimos dois aventureiros conversando em Port Hope e adivinha sobre o que eles falavam?!Snakes! Você sabia que você não pode pegar o loot de uma snake?Hein hein sabia, sabia, é verdade, mamãe, você não pode?!!?!?" Zoran estava realmente excitado. Sua mãe sorriu e sentou na borda da cama. "Bem, parece que esses tais aventureiros não sabiam muito sobre elas, então deixe-me contar-lhes a verdadeira história." Zoran e Zarah se deitaram confortávelmente na cama.



"Era uma vez, um tempo em que as Snakes carregavam um loot, assim como todos os outros monstros conhecidos, e se você quer saber, valia a pena tentar pegar e correr o risco de se envenenar. As Snakes adoram brilho e coisas brilhantes, então você pode imaginar que elas devoravam todo tipo de jóias e pedras preciosas. Entretanto, tempos difíceis chegaram para elas. As histórias sobre os grandes tesouros que elas carregavam se espalharam rápidas feito uma bala, e logo, Zathroth, O destruidor, ficou sabendo sobre elas e desenvolveu um certo interesse sobre isso. Ele considerou as Snakes como fáceis presas e uma grande fonte de riqueza, suficiente para sustentar seu próprio exército para uma batalha. Zathroth permitiu que suas malignas tropas fossem a caça das Snakes e vendessem seu loot sempre que precisassem de dinheiro para algo. Elas não conseguiam se defender e seu veneno não era o suficiente para derrubar um poderoso orc. Porém, não demorou muito até que Fardos, O criador e Uman, o sábio soubessem da nova fonte de riquezas de Zathroth e terem uma boa idéia para arruinar seus planos. Com seus grandes poderes, eles selaram as Snakes para todo o sempre, para que não pudessem abrir seus corpos e pegar os seus tesouros nunca mais. Apesar de que as Snakes estavam salvas de serem caçadas por jóias e pedras preciosas, elas estavam cheias de pânico e medo. Oh, como temeram a grande fúria de Zathroth!"

"Então ele é um deus mau, mamãe? Ele é mãe, ele é???" a pequena Zarah franzia a testa. "Oh sim, querida, ele é conhecido por seu temperamento explosivo. Uma vez, ele matou milhares de seus súditos em um momento de raiva só por quê um deles não se curvou o bastante em sua reverência. Depois de tudo isso, as Snakes se espalharam pelo mundo de Tibia, fugindo da raiva de Zathroth. Algumas delas até saíram da terra firme para buscar refúgio em terra firme, e algumas se adaptaram à vida no deserto. Apesar disso, todas ainda amam seu lugar de origem, os pântanos de Venore." Zoran não conseguia acreditar: "Você quer dizer...A nossa Venore?!?!?!?!Aqui que é a terra das Snakes?!" "Não só sua terra, querido, mas também sua sepultura!" Odemara disse com um olhar significativo em sua direção. "Cada velha snake, seja uma Cobra, uma Sea Serpent ou apenas uma ordinária Snake verde, todas elas voltam para o lugar em que seus ancestrais nasceram quando estão próximas da morte. Elas entram em um transe profundo e deixam que o pântano as levem para as profundezas para que descansem em paz por toda a eternidade. Hoje, a maioria das pessoas pensam que elas não carregam nenhum loot, mas você sabe que isso não é verdade."

Zarah já havia caído no sono profundo, abraçada com a sua pequena foquinha de pelúcia, enquanto os olhos de Zoran ainda brilhavam cheios de interesse: "Mas...O que acontece com todas essas jóias e pedras que elas pegam durante toda a vida?" "Bem...," Odemara parou para pensar por um momento e então continuou, dando uma piscadela: "O corpo de uma Snake se decompõe, mas é claro que as jóias não. Rumores dizem, que os pântanos de Venore são cheios de tesouros e coisas valiosas, em uma quantidade que vai além dos seus maiores sonhos." Ela deu um beijo leve na testa de Zoran, que ouviu tudo de boca aberta. "Boa noite, mamãe!", gritou. Depois, limpou o beijo da testa e correu para o seu quarto, sem aquele entusiasmo habitual. Odemara sorriu.



Créditos ao Portal Tibia pela tradução.